Recursos Humanos: carreira supera crise e mostra que está em alta

Recursos Humanos: carreira supera crise e mostra que está em alta

O desemprego é, sem dúvida, um dos prejuízos causados pela pandemia da Covid-19. Atualmente, cerca de 14 milhões de pessoas estão em busca de uma recolocação profissional. Apesar disso, o novo coronavírus trouxe também muitas oportunidades e, foi durante a crise, que muitas carreiras deslancharam. Segundo levantamento feito pela empresa de recrutamento Michael Page, 30 profissões continuarão em alta em 2021. A área de Recursos Humanos é uma delas.

Com as mudanças promovidas pela pandemia, os profissionais que atuam nesse setor precisaram se reinventar. Gerenciar equipes remotas, enxugamento das equipes e aprender a dominar novas tecnologias foram alguns desafios que precisaram ser superados. Quem se adaptou à nova realidade, não só conseguiu manter-se no mercado de trabalho como também teve o passe valorizado.

De acordo com a Lei n.º 4.769 de 1965, a área de recursos humanos é privativa do bacharel em Administração com registro em Conselho Regional de Administração. Para aqueles profissionais que buscam um diferencial no currículo, além da graduação a alternativa são as certificações profissionais. Pensando nesse público, o Conselho Federal de Administração (CFA) criou o Programa de Certificação Profissional do Sistema CFA/CRAs, cujo objetivo é distinguir profissionais regularmente inscritos em Conselho Regional de Administração, mediante comprovação de suas competências nos campos da Administração por meio da aplicação de prova.

O programa certifica profissionais de Administração em várias áreas, entre elas a de Administração e Seleção de Pessoal. O administrador Thiago Sodré, registrado no Conselho Regional de Administração da Bahia (CRA-BA), é certificado na área de RH pelo CFA. Segundo ele, atualização agrega valor ao currículo profissional. “As certificações são importantes para incrementar o currículo na empresa, além de ter um diferencial dos demais profissionais, obtendo uma certificação emitida por um órgão de classe de suma importância”, afirma o administrador.

Saiba mais

Para obter a certificação, é preciso submeter-se a uma prova. A avaliação é feita pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A instituição de ensino é responsável por elaborar e aplicar o teste. Considerado de altíssimo nível, o exame é composto de questões objetivas com diferentes níveis de complexidade. Na ocasião, são cobrados assuntos relacionados à área do qual o profissional quer o certificado. Além de certificar administradores que atuam com Administração e Seleção de Pessoal, o programa está aberto para as seguintes áreas: Administração de Materiais/Logística; Administração Financeira; Administração Mercadológica (Marketing)/Administração de Vendas; Administração da Produção.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas no site https://certificacao.cfa.org.br/ . As provas são aplicadas em polos/unidades da FGV espalhadas por todo o país. Por conta da pandemia da Covid-19, o Programa reduziu a taxa de inscrição em 30%. A medida visa atender aqueles profissionais de Administração que estão sofrendo os impactos econômicos da crise e oportunizar a eles o acesso à qualificação profissional de alto nível.

Para a diretora de Formação Profissional do CFA, Cláudia Stadtlober, a certificação é um selo de qualidade conferido aos profissionais de Administração. “É uma maneira de o administrador se destacar no mercado e, principalmente, chamar a atenção para o seu currículo e mostrar que, realmente, é um profissional habilitado e qualificado para atuar naquela área. Além disso, é a chancela do seu conselho de classe para aquela área da gestão na qual você tem expertise no seu trabalho. Isso mostra o seu diferencial para competitividade profissional, principalmente”, diz.

Serviço

O que: Programa de Certificação Profissional do Sistema CFA/CRAs

Público: Administradores registrados em CRA e adimplentes 

Valor: R$ 350,00

Inscrições e edital: https://certificacao.cfa.org.br/

Ana Graciele Gonçalves

Assessoria de Comunicação CFA