Que tipo de conhecimento a pandemia te agregou?

Que tipo de conhecimento a pandemia te agregou?

A sexta-feira chegou junto com uma discussão provocativa para fechar a semana. O webinar Comportamento Pessoal e os Cuidados com a Saúde Pós-Pandemia, realizado hoje, reuniu três administradores para falar sobre o que muda daqui pra frente na profissão e na atenção com a saúde. 

Qual a sua responsabilidade enquanto pessoa diante dos desafios que a vida nos impõe? Quais as novas habilidades profissionais que serão exigidas num contexto bem mais virtual? Como tem se dado a retomada das atividades no Brasil e no mundo? 

Daniela Camarinha, diretora-executiva na YOU CARE; Valdir Borba, executivo em Gestão de Saúde; e Rogério Ramos, vice-presidente do Conselho Federal de Administração (CFA) foram os responsáveis pelo debate.  

Pontos

O novo modelo de trabalho trazido pela pandemia foi abordado por Rogério Ramos que lembrou que “99% dos negócios no Brasil são realizados por Micro e Pequenos Empresários e pela nova figura do MEI (Microempreendedor Individual)”. Sobre a distância entre a formação acadêmica dos profissionais de Administração e as necessidades reais das empresas, Ramos afirmou que o CFA tem atuado junto ao Ministério da Educação (MEC) pela reformulação das bases curriculares. “A Administração evoluiu e se ampliou muito em várias vertentes”.  

Diante de um cenário tão incerto, a certeza é que não é possível seguir apenas pelo mesmo caminho de antes. A especialista em marketing frisou o quão necessárias são as estratégias de marketing e de branding da marca neste momento de mudanças. “A partir do momento em que uma empresa foi fundada a partir de uma essência e ela cresce mantendo essa essência, o que é um grande desafio, ela precisa traduzir o seu posicionamento de uma maneira que quando esse cliente utiliza o serviço da empresa ele encontra uma sinergia entre o que ela fala e o que ela entrega”, afirmou Daniela.  

Um dos pontos altos da discussão foi com relação à sociedade do cuidado, trazida por Valdir Borba. Ele analisou a atuação do setor privado x público durante a pandemia da Covid 19, na qual afirmou que apesar de o primeiro ter sido mais ágil, as informações estavam concentradas no segundo. Segundo ele o sistema de informação de Saúde Pública no Brasil precisa ser integrado. “A telemedicina será muito desenvolvida e a Inteligência Artificial já chegou na gestão. A robótica já faz parte do atendimento. Então, não são só os nossos processos, os nossos sistemas mais. Precisamos incluir também o olhar para o nosso colaborador que passa a ser cada vez mais um patrimônio muito forte”, concluiu. 

Perdeu o webinar? Assista aqui! 

Assessoria de Comunicação CFA 

Próximo postRead more articles